Pilates para reabilitação: dicas

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

O Pilates é uma excelente atividade para quem está se recuperando de alguma lesão, além de ser ótimo por ter baixo impacto. de fato, ele não pode ser substituído pela fisioterapia convencional, mas pode sim ser um complemento ou o caminho para dar continuidade na reabilitação depois da liberação da equipe responsável.

Utilizar o pilates para a reabilitação é um grande diferencial, pois há a possibilidade de um atendimento individual (indispensável) e adaptação que o profissional terá para este tratamento. É claro que cada caso é um caso, mas tudo pode começar pelo  controle da dor, onde o paciente é orientado a evitar forças destrutivas sobre a lesão durante o exercício. São realizados movimentos isolados numa articulação distal ou proximal ao local da lesão. Vale lembrar que o pilates é dividido em duas modalidade, sendo a primeira é a de solo, com treinamento funcional e correção postural, a segunda é a do Pilates de Studio, que consiste em uma modalidade com aparelhagem PowerPlate (equipamento tecnológico que emite vibrações), cardillac, reformer e espaldar. Na segunda modalidade, usa-se a resistência das molas do aparelho. Já no pilates de solo, a resistência está centrada no próprio corpo.

Evita-se movimento no local da lesão ou região de instabilidade. Assim, por fim, restauração do movimento para que se recupere a amplitude de movimento perdida por causa da lesão. As  patologias que podem ser reabilitadas são inúmeras, podemos citar para lesões de coluna como: protusão ou hérnia, escoliose. Lesões de joelho, como: condromalácia, alguma cirurgia nos ligamentos ou de menisco que necessite de um bom trabalho de fortalecimento muscular. Lesões de ombro, como: bursite. E também lesões de pé e tornozelo.


Deixe seu Comentário.


Comentário